Início Maricá Criminalidade cresce e assusta moradores de Maricá

Criminalidade cresce e assusta moradores de Maricá

Da redação | João Henrique – Há algum tempo, a criminalidade vem aumentando rapidamente na cidade de Maricá. Nas últimas semanas vimos o caso de diversos assaltos na rodovia Amaral Peixoto (RJ106) a pedestres em ponto de ônibus.
Em uma semana, três estabelecimentos foram assaltados no trecho de São José do Imbassaí à Inoã.
Assassinato na rodovia Amaral Peixoto (RJ106) chocou moradores
de Maricá. (Foto: Arquivo | Maricá Info)
O número de assassinatos também aumentou em Maricá em relação ao ano de 2011, mas, mesmo assim, o número do efetivo de policiais militares da 4ª CIA continua o mesmo, são cerca de 30 policiais por dia, patrulhando a cidade de Maricá, com 362 KM² e mais de 130 mil habitantes. Vale lembrar que nos dias de festas e na alta temporada, a população flutuante pode ultrapassar os 300 mil habitantes.
Segundo informações, duas viaturas ‘extras’ da PM foram enviadas para Maricá, uma no Centro e outra em Itaipuaçu, porém, quando há uma ocorrência grave em Niterói, área de atuação do 12º BPM, o Coronel Dias, desloca as viaturas para a cidade, deixando Maricá com menos policiamento e, portanto, uma área mais sensível ao combate à criminalidade.
Em reunião do CCS, comandante do 12º BPM afirmou que
não há necessidade da criação de um novo batalhão em Maricá.
(Foto: Arquivo | Maricá Info)

Já há um projeto – e a necessidade para a criação de um Batalhão de Polícia Militar, assinado até pelo governador Sérgio Cabral, porém, não há o aval do comandante do 12º Batalhão de Polícia Militar, o Coronel Wolney Dias.

Em reunião do CCS (Conselho Comunitário de Segurança), o comandante do 12º BPM afirmou que não há a necessidade de criar um batalhão pois o efetivo de cerca de 30 policiais militares por dia, em Maricá, é suficiente para cobrir a área de 362 km², e mais de 130 mil habitantes.

Moradores ficaram assustados com os recentes casos de assalto no município, o último, no supermercado do Centro de Maricá, o assaltante causou pânico na tarde deste domingo (21). A população teme o aumento da criminalidade na cidade pois as autoridades nada fazem para melhorar a área no município.

Reportagem relacionada:

1 COMENTÁRIO

  1. Com referência a matéria jornalística acima tenho a esclarecer o seguinte:

    1- Quando há uma ocorrência grave em Niterói, em Maricá ou em qualquer outro lugar do Estado, os recursos materiais e humanos da Corporação são remanejados para fazer frente à demanda surgida. Raramente recursos de Maricá são deslocados para Niterói, mas se for necessário isso poderá acontecer, bem como, também o inverso. Em épocas de grandes eventos em Maricá, recursos de Niterói são deslocados, assim como de outras áreas do Estado para atender Maricá;

    2- É verdade que viaturas extras foram e, sempre que possível, serão enviadas para Maricá para reforçar o policiamento, no entanto quando o Batalhão perde efetivo, por alguma razão, essa perda não é repassada para a Companhia de Maricá na mesma proporção;

    3- NÃO é verdade que exista um projeto de criação de um Batalhão para Maricá, assinado pelo Governador, e muito menos que careça de meu aval;

    4- Quanto ao efetivo para cobrir a área de Maricá, que é de 30 (trinta) Policiais Militares, por dia, é lógico que se fossem 200 (duzentos) seria muito melhor, mas esse número é o que, hoje, podemos dispor, dentro dos recursos humanos existentes no 12º BPM. Cabendo ressaltar, que essa era a realidade de Maricá muito antes de ter assumido o Batalhão, em outubro de 2011, porém nunca retirei recurso algum de nosso município, pelo contrário;

    5- Quanto à necessidade da criação de um Batalhão em Maricá, o que digo nas reuniões do CCS, que tem de ser pleiteado aumento de efetivo, pouco importando se de um Batalhão, uma Companhia Independente, um pelotão ou um destacamento, desde que tenhamos mais Policiais; e

    6- Quanto a se falar em aumento de criminalidade no município, tenho a acrescentar que os números da estatística criminal não refletem tal realidade. Prova disso, o Batalhão atingiu as metas estabelecidas pela Secretaria de Segurança do Estado e será em breve premiado.

    Finalmente, aproveito para me colocar à disposição de todos os munícipes, para discutir, ouvir opiniões e buscar soluções, juntos, para satisfazermos essa tão almejada necessidade essencial que é a de Segurança pública.

    Coronel Wolney Dias – Comandante do 12º BPM

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Favor colocar seu nome aqui