Campanha de Vacinação contra a Gripe é prorrogada

Público-alvo poderá se vacinar até 16 de maio. Região Metropolitana II, na qual está inserida Maricá, Niterói, São Gonçalo e Itaboraí, é a que tem a menor cobertura do estado, apenas 21,7%

A 16ª edição da Campanha de Vacinação contra a Gripe foi prorrogada até o dia 17 de maio. A mudança tem como objetivo atingir a meta inicial do Ministério da Saúde, que é imunizar 80% dos grupos prioritários no Rio de Janeiro, o que representa aproximadamente 4,1 milhões de pessoas. Até a manhã desta quinta-feira, apenas 30% do público-alvo havia se vacinado no estado.

A campanha está mobilizando 1,5 mil postos de saúde em todo o estado. A Região Litoral Sul Fluminense, formada pelos municípios de Angra dos Reis, Mangaratiba e Parati, é a que mais vacinou contra a gripe no estado até agora: a cobertura é de 37,81%. Já a Região Metropolitana II, formada pelos municípios de Itaboraí, Maricá, Niterói, Rio Bonito, São Gonçalo, Silva Jardim e Tanguá, é a que tem a menor cobertura: 21,70%.

“A população tem que se conscientizar sobre a importância dessa campanha. A vacina é muito importante para imunizar as pessoas dos grupos prioritários, mais suscetíveis às complicações da gripe. Com isso, evitamos principalmente os casos graves, em especial em gestantes, crianças e idosos”, reforça a subsecretária de Vigilância em Saúde da SES, Hellen Miyamoto.

Pouca procura – Em Niterói, mesmo sem saber que a Campanha de Vacinação seria estendida, na manhã desta quinta-feira, a procura pela vacinação ainda era normal, segundo a funcionária Cláudia Abi-Ramia, da Policlínica Comunitária Dr. Carlos Antônio da Silva, na Rua Jansen de Melo, no Centro da cidade. 

“A procura por enquanto está normal, acredito que o dia de maior movimento mesmo seja amanhã (hoje). Como todas as outras coisas, o brasileiro também deixa a vacinação para o último dia”, brincou a funcionária.

Embora as filas não fossem grandes, já era possível encontrar pessoas fugindo da longa espera do último dia, que estava determinado para hoje. Era o caso da idosa Lilian Graça Bastos, de 70 anos, que aguardava para ser vacinada. 

“Assim que anunciaram no Rio eu fui a um posto de saúde, mas ainda não tinha começado em Niterói. Então eu viajei e assim que cheguei já vim me vacinar, para evitar as longas filas”, disse Lilian.

Novidades – A campanha deste ano recebeu o slogan “Vacinação contra a gripe: você não pode faltar”. Estão sendo vacinados os integrantes do grupo prioritário, formado por pessoas com 60 anos ou mais, crianças de seis meses a menores de cinco anos, indígenas, gestantes, mulheres com até 45 dias do parto, população carcerária, profissionais de saúde e profissionais que trabalham no sistema prisional, além de doentes crônicos. As novidades deste ano são a ampliação da idade para vacinação das crianças, que até o ano passado era de seis meses a menores de dois anos de idade e que agora foi estendida até os menores de cinco anos, e a inclusão da vacinação para pessoas que trabalham no sistema prisional.

Em 2013, o estado do Rio de Janeiro atingiu 81% de cobertura, ultrapassando a meta do Ministério, e todos os grupos alcançaram a meta prevista.

Contraindicação – As únicas contraindicações são a alergia aos componentes da vacina, principalmente à proteína do ovo, e os portadores de doenças neurológicas em atividade. Vale ressaltar que pessoas que podem comer ovo frito, pão, bolo ou macarrão não têm essa alergia. Quem estiver com gripe ou apresentado estado febril ou sintomas de dengue, o recomendado é esperar melhorar, para depois se vacinar. O imunizante deve ser tomado todos os anos. A escolha pelo período do outono para a aplicação é estratégica, pois a vacina precisa de duas semanas para induzir alguma proteção e de quatro a seis semanas para que a máxima proteção seja alcançada. Como o inverno é período de maior circulação do vírus, tomando a vacina no outono, garante-se máxima proteção no período de maior circulação do vírus. 

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a vacinação é a forma mais eficaz para prevenir a gripe e suas complicações. Provocada pelo vírus Influenza, a gripe ataca todos os anos entre 10 e 20% da população do planeta – algo em torno de 600 milhões de pessoas. Se não for tratada, pode gerar complicações que provocam entre 250 mil e 500 mil mortes por ano e milhões de internações. As complicações mais comuns são pneumonia, infecção no ouvido (otite) e inflamação nos brônquios (bronquite).

Redação Maricá Info

Levamos até você um jornalismo crítico, com imparcialidade e independência editorial. Aqui você tem voz, participe! Envie sugestões de reportagem e denúncias para o nosso Whatsapp: (21) 99621-9049.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *