Maricá: Prefeitura diz que cidade não tem caso confirmado de meningite

A Prefeitura de Maricá esclarece que um homem de 29 anos, morador de Itaipuaçu, morreu nesta quinta-feira (01/06) com suspeita de meningite não contagiosa, no Hospital Estadual Alberto Torres, em São Gonçalo. Segundo a Secretaria de Saúde de Maricá, o paciente foi diagnosticado na UPA de Inoã na terça-feira (30/05) com infecção no ouvido e pneumonia, e transferido no mesmo dia à noite para a unidade hospitalar da cidade vizinha, onde o quadro clínico se agravou para a septicemia (infecção na corrente sanguínea que atinge pulmões ou pele e se espalha rapidamente pelo corpo). O caso é suspeito de meningite e a prefeitura aguarda os resultados dos exames específicos.

A Secretaria de Saúde informa que, caso seja confirmada a meningite, essa não é uma especificação contagiosa, visto que a infecção inicial aconteceu no ouvido e não por uma bactéria. “Pela gravidade da lesão, o paciente já estava há algum tempo com essa infecção que pode ter atingido a meninge por ser uma região próxima, mas somente os exames específicos podem comprovar esse diagnóstico”, explica a secretária de Saúde, Simone Costa.

Para evitar possíveis casos da doença, a Secretaria Municipal de Saúde vai aderir a campanha estadual de vacinação das crianças de 9 a 14 anos (esse público é mais suscetível ao vírus) contra meningite junto à campanha do HPV (serão imunizados ambos os sexos). A vacinação, prevista para iniciar na segunda quinzena de junho, acontecerá nos postos de saúde e nas escolas públicas e privadas, em parceria com a Secretaria de Educação.

É importante frisar que não existem casos de meningite na cidade. Em maio, duas crianças (um menino de 5 anos morreu e um bebê de 11 meses foi liberado) deram entrada na UPA, mas os exames descartaram a infecção pela doença. No caso do menino que faleceu, a Vigilância Epidemiológica da Saúde fez a ação de bloqueio – medicação dos alunos e professores da turma na Escola Municipal Valéria Passos (Itaipuaçu), além dos familiares que tinham contato com a criança, conforme o protocolo do Ministério da Saúde para casos desta natureza. Mais informações sobre a meningite pelo telefone 3731-2389.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inline
Inline