Início Notícias de Maricá Procon apreende mais de 120 kg de alimentos impróprios em comércio de...

Procon apreende mais de 120 kg de alimentos impróprios em comércio de Maricá

Dois supermercados, uma lanchonete e uma clínica foram fiscalizados em nova fase da ‘Operação Ouro Negro’ na segunda-feira (12).

O Procon apreendeu mais de 120 kg de alimentos impróprios para o consumo em um mercado de Maricá-RJ. Além dele, outros três estabelecimentos do município foram vistoriados nesta segunda-feira (12) em uma nova fase da ‘Operação Ouro Negro’. Dois deles a pedido do Ministério Público Estadual, segundo o Procon. Todos os quatro estabelecimentos foram atuados, de acordo com o órgão.
O Procon informou que em um dos mercados foram encontrados cerca de 48 kg de carré sem especificação da data de validade e sem proteção contra poeira e insetos. Além disso, o estabelecimento tinha 36 kg de carne previamente moída na área de vendas do açougue, o que é proibido, segundo o órgão. Linguiças, toicinhos e outros tipos de carne também foram encontrados em condições irregulares. Segundo o Procon, o estabelecimento não apresentou aos fiscais o alvará de funcionamento e o certificado de dedetização.
Em outro mercado, no Centro da cidade, a fiscalização encontrou problemas estruturais em duas câmaras e na área de manipulação das carnes. Na câmara congelada de carnes, o umbral, a porta e o trilho da porta apresentavam sujeira, ferrugem e bolor. De acordo com o órgão, os ralos da câmara resfriada e da área de manipulação das carnes estavam sem proteção para a entrada de insetos. Os fiscais deram um prazo de 15 dias para a regularização das irregularidades sob pena de interdição.
Já em uma lanchonete do bairro Itapeba, foram encontradas cinco latas de cerveja vencidas e 250 g de azeitonas sem especificação da data da abertura e validade. Elas também estavam fora de refrigeração, de acordo com o Procon.
Outra ação ocorreu em ma clínica oftalmológica, no Centro da cidade. A clínica não apresentou à fiscalização o Livro de Reclamações, o certificado do Corpo de Bombeiros e o alvará de funcionamento. Os fiscais também observaram que o estabelecimento não emitia nota fiscal dos serviços.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Favor colocar seu nome aqui