Maricá: Defesa Ambiental resgata Fragata ferida na lagoa de Araçatiba

Guardas do Grupamento de Defesa Ambiental (GDA) de Maricá resgataram na manhã desta segunda-feira (17/07), um pássaro da espécie fragata (Fregata Magnificens) às margens da Lagoa de Araçatiba. A ave se feriu em linhas de pipa que foram deixadas na vegetação do local. Após o resgate o animal foi levado por veterinários do Projeto de Monitoramento de Praias – Bacia de Santos (PMP-BS), licenciado pelo Ibama, para Araruama, onde a Ong possui suporte adequado para o devido tratamento da ave.

De acordo com a guarda ambiental Vanuza Lucio, a equipe do GDA chegou ao local por volta das 9h, logo após o acionamento feito por munícipes que encontraram a ave ferida. “Nós retiramos a linha que estava presa à ave, uma fêmea, e durante a captura identificamos que uma de suas asas estava ferida e com um pouco de sangue. Esse ferimento provavelmente era o que impedia a ave de voar”, afirmou Vanuza.

Também conhecida como “Tesourão” a fragata é encontrada em países de clima tropical, mede cerca de 1 metro de comprimento e pesa apenas 1,5 Kg. Com 2 metros de envergadura se alimenta de pequenos peixes que sobem à superfície e são capturados com o bico em voos rasantes. O macho é preto e distingue-se por um saco gular vermelho. A fêmea é maior, tem cabeça anegrada e peito branco. Seus ninhos são construídos sobre arbustos e árvores. Machos e fêmeas alternam-se na incubação do único ovo, como também no cuidado do filhote. O tempo de incubação varia entre 40 a 45 dias. É uma espécie de ampla distribuição geográfica. No Brasil são encontradas colônias em Fernando de Noronha, Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Santa Catarina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inline
Inline