Deputado federal critica a política de segurança pública implementada por Pezão

Partiu do deputado federal Marcelo Delaroli (PR-RJ) a crítica mais dura ao governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) na audiência pública realizada terça-feira (19/09), na Câmara dos Deputados, para debater a segurança pública e a convocação dos 4 mil aprovados no concurso da Polícia Militar de 2014.

Convidado, Pezão não compareceu, mas estiveram presentes o comandante-geral da PM, coronel Wolney Dias, e o secretário de Segurança, Roberto Sá, como representantes do Estado. A ausência do chefe do Executivo foi criticada pelos deputados da bancada do Rio. Delaroli considera inaceitável o assassinato de civis inocentes e de policiais sem ações efetivas das autoridades estaduais para combater a violência.

Solidário com a dor das famílias dos 103 PMs assassinados, inclusive algumas das viúvas acompanharam a audiência pública, Delaroli pediu que o comandante -geral da PM exija investimentos do governador, para que os policiais tenham melhores condições de trabalho. Falando diretamente ao coronel Wolney Dias, o deputado desabafou sobre a incapacidade de Pezão.

“Comandante, pega a rédea dessa tropa, o senhor é uma pessoa boa, bem intencionada, mas tem que bater na mesa do governador. E se Pezão não tem condição de tocar o Estado, a segurança, pede para sair, o que não pode é as pessoas continuarem morrendo”, discursou Marcelo Delaroli.

O deputado federal também alertou para a urgência de o Estado aumentar o efetivo da Polícia Militar, já que as autoridades presentes na audiência pública admitiram a perda anual de cerca de 2 mil policiais por motivos variados. Marcelo Delaroli pediu a convocação dos 4 mil aprovados no concurso da PM de 2014.

“Por que não convoca os 4 mil? Já são três anos sem saber como vai ser a vida, muitos com documentos retidos sem poder ter outro emprego, pessoas que saíram dos seus empregos para serem incorporadas à Polícia Militar. Não aguentamos mais ouvir que vão chamar em breve, as pessoas precisam organizar suas vidas. O governador precisa falar quando vai chamar. Vamos chamar em outubro, em novembro, quantos são. Senhores, cobrem do governador, ele precisa falar, do jeito que está não dá para continuar, é preciso investir nos profissionais da segurança pública”, afirmou Delaroli.

O deputado também criticou a declaração do coronel Wolney Dias de deslocar três mil policiais militares das UPPs para reforçar o policiamento em outras regiões do Estado. “Não pode tirar três mil, se for para fazer isso, tem que retirar os 10 mil PMs das UPPs. Se já está ruim com o efetivo reduzido das UPPs, imagina se retirar mais 3 mil. Como vão se defender naquelas comunidades? Vai colocar ainda mais em risco a vida dos policiais, que saem de muito longe. Não faça isso, comandante”, pediu Marcelo Delaroli.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inline
Inline