Início Notícias de Maricá Maricá recebe milhões de royalties do petróleo que estavam bloqueados

Maricá recebe milhões de royalties do petróleo que estavam bloqueados

Através de mobilização dos deputados federais Marcelo Delaroli (PR-RJ) e Simão Sessim (PP-RJ), foi creditado nessa semana, na conta corrente da Prefeitura de Maricá, o valor de R$ 6,9 milhões, referente a royalties do petróleo que estavam bloqueados.

O recurso foi depositado na última terça-feira (06/02), após diversos pedidos dos deputados à Agência Nacional do Petróleo (ANP) e ao ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho.

Marcelo Delaroli destaca que a mobilização parlamentar, com o apoio do ministro, foi determinante para que em sessão da ANP fosse aprovada a liberação do recurso para a Prefeitura de Maricá.

“A política feita com parcerias gera resultados, fico muito feliz de ver a minha cidade Maricá receber recursos que eram de direito, mas que por questões burocráticas estavam bloqueados há tempos. Esperamos agora que sejam aplicados pelo município no que é realmente importante para a população”, afirma o deputado federal maricaense.

Siga-nos no Facebook:

Apesar de fazer oposição ao prefeito de Maricá, Delaroli tem tido uma atuação parlamentar que prioriza o bem-estar dos moradores da cidade e, em seu primeiro ano de mandato, destinou em 2017 recursos federais para o Hospital Municipal Conde Modesto Leal, UPA de Inoã e Guarda Municipal.

O deputado sugere que os R$ 6,9 milhões liberados pela ANP sejam utilizados na saúde, área que mais recebe queixas da população. Segundo Delaroli, a compra de um mamógrafo para o Hospital Municipal Conde Modesto Leal é uma urgência negligenciada há mais de 8 anos pelo governo do PT.

“Maricá é a cidade que mais recebe royalties no Brasil, nada justifica que o hospital municipal não tenha mamógrafo, que faltem medicamentos e insumos nas unidades, que não existam postos de saúde em funcionamento por causa de obras abandonadas. Espero que a prefeitura possa priorizar o que realmente é importante, utilizar os royalties para oferecer saúde pública de qualidade para a população”, conclui Marcelo Delaroli.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Favor colocar seu nome aqui