Ex-prefeito Quaquá se pronuncia sobre a prisão do ex-secretário de Maricá na Operação Lava Jato

O atual presidente do PT no Estado do Rio de Janeiro e ex-prefeito de Maricá, Washington Quaquá, comentou sobre a prisão de Marcelo Sereno num desdobramento da Operação Lava Jato. Marcelo foi secretário de Desenvolvimento no governo Quaquá.

“Marcelo Sereno foi um bom e eficiente secretário de desenvolvimento do município de Maricá em meu primeiro governo. Ocupou a pasta de Desenvolvimento de uma secretaria sem orçamento e com pequena estrutura e mesmo assim trabalhou intensamente e foi fundamental para a consolidação do projeto do Porto de Jaconé. Só tenho a agradecer e a elogiar sua conduta e seu trabalho que ajudou o desenvolvendo da nossa cidade.”, disse Quaquá.

Quaquá volta a atacar verbalmente a Rede Globo e condena a forma como as operações da justiça e da polícia são transformados em espetáculos pela Rede Globo.

“Sou absolutamente favorável à qualquer tipo de investigação relacionada ao combate à corrupção ou a qualquer crime. Condeno é a forma como no Brasil as operação da justiça e da polícia se transformaram em espetáculo da Rede Globo, onde antes de obter provas e concluir processos as pessoas são publicamente condenadas pela TV, suas vidas e famílias expostas e depois, quando é provada sua inocência, como no caso do Ministro Guido Mantega e outros, quem é que vai pagar a destruição da reputação alheia?.”, comentou Quaquá.

Quaquá continua com o discurso que o ex-presidente Lula foi condenado injustamente com o objetivo de ser retirado da disputa presidencial.

“Está claro que depois da prisão ilegal do Presidente Lula, (um inocente condenado para ser retirado da disputa presidencial e para entregar o Brasil nas mãos dos interesses estrangeiros e tirar direitos do povo trabalhador, enriquecendo ainda mais os poucos bilionários do Brasil e do mundo, entre eles os da Globo), agora esta se fazendo uma nova ofensiva do aparato do Poder ditatorial justiça/policia/Rede Globo para criminalizar e atingir o PT à beira das eleições.”, salientou o ex-prefeito

“Por último, é preciso que as forças democráticas e que defendem o Estado de Direito, as garantias individuais liberais burguesas e a Constituição tenham clareza da necessidade urgente de se reestabelecer um mínimo de democracia no Brasil.” Finalizou Quaquá.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *