Início Esportes Campeonato maricaense de Kung Fu movimenta a cidade

Campeonato maricaense de Kung Fu movimenta a cidade

Foto: Clarildo Menezes / PMM

O VIII Campeonato Maricaense de Kung Fu, organizado pela Associação Shaolin Kung Fu Garra de Águia de Maricá com o apoio da Prefeitura através das secretarias de Cultura e Educação, reuniu atletas atendidos em unidades do projeto e escolas municipais no último domingo (23/09), na quadra da Escola Municipal Professor Darcy Ribeiro (Inoã). O evento contou com a presença do presidente da confederação, Grão mestre Li Wing Kay, da equipe de Teresópolis e do campeão latino-americano de boxe, o maricaense, Rafael Garcia. Durante a solenidade, reverências foram feitas ao Brasil e à China. Houve também entrega de honrarias, apresentação de dança do leão e combates individuais.

No Brasil há 48 anos, o Grão mestre Li Wing Kay é um dos pioneiros em kung Fu. “Fico contente em ver que a semente que está sendo plantada nessa cidade está sendo reconhecida pelos jovens, familiares e autoridades. Isso é muito importante para a cultura milenar da China. O kung fu ensina o equilíbrio físico e mental. Independente dos resultados, vocês todos saem daqui vencedores. Lembrem-se que o adversário de vocês não é a outra pessoa com quem vocês vão lutar, mas vocês mesmos”, disse o Grão mestre.

“O kung Fu visa você oferecer o que aprendeu de uma forma social, mas eu dependo desse suporte da prefeitura e agradeço por todo apoio recebido sempre, mas acredito que os próximos eventos tendem a melhorar cada vez mais. No kung Fu aprendemos a não estar satisfeitos com uma nota 9, mas em buscar o 10. Essa arte marcial está sendo realizada no contraturno de muitas escolas da rede municipal com o Mais Educação e não ensina só luta, mas também respeito, lealdade e disciplina, porque ele vem do militarismo, então os alunos são ensinados a se comportar diante das autoridades. A formação do caráter deles é muito importante”, frisou o mestre Paulo Salles.

Diretora da EM Darcy Ribeiro, Cátia Oliveira garantiu que enquanto estiver à frente da unidade, as portas estarão sempre abertas para a realização de eventos como esse. “O Kung fu une disciplina, respeito e beleza. Vi um mestre chamando a atenção de um dos alunos que o atendeu na mesma hora. Isso para mim é um sonho”, brincou. Praticando Kung Fu há apenas um mês, Elaine Siqueira e Taís Falera, ambas de 24 anos, falaram sobre a mudança de suas vidas. “Fisicamente nós não fazíamos nada. Além disso, o projeto ajudou as crianças a terem disciplina nos estudos”, pontuou Elaine. “É muito bom fazer esporte. É bom para os jovens e já ajudou muitas pessoas a largarem o vício das drogas”, completou Taís.

Mestre de Teresópolis, Walbert Graça, estava acompanhado de 12 atletas. “O campeonato é importante não só para que os atletas interajam com os atletas de outras cidades, mas também para que acabem se auto-avaliando. Muitas vezes é nessa hora que eles percebem que estão mal e aproveitam para se espelhar em alguém que esteja melhor para se superar” ponderou. Segundo o visitante, vale a pena praticar o Kung Fu pelos seguintes motivos. “Ele ajuda muito na concentração, percepção, coordenação motora, calcifica os ossos e ajuda na parte de convivência social. Nós trabalhamos com muitos jovens que são desacreditados pela sociedade e até mesmo pela própria família, então nós reanimamos esse jovem com o kung fu, acreditando nele”, esclareceu.

Morador de Teresópolis, Ari Moraes (58 anos) parabenizou a prefeitura por ter apoiado o evento. “Além de trazer equipes de todo o estado do Rio de Janeiro, este campeonato ajuda na formação do jovem, dando disciplina e ajudando mentalmente. O esporte é fundamental como elemento importante do desenvolvimento do ser humano, da juventude. Uma opção fantástica que tem que ser cada vez mais valorizada”, concluiu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Favor colocar seu nome aqui