Início Notícias de Maricá Maricá: Pesquisadores da UniRio iniciam coleta de amostras das lagoas

Maricá: Pesquisadores da UniRio iniciam coleta de amostras das lagoas

A parceria entre a Secretaria de Cidade Sustentável de Maricá e a Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio), para estudo das condições do sistema lagunar do município teve sua primeira ação nesta segunda-feira (15/07). O professor de Geologia Marinha da instituição, Lázaro Laut, e o aluno Pierre Belart – autor da tese de doutorado que gerou a pesquisa, intitulada “Evolução Espaço-Temporal das Lagoas Costeiras do Rio de Janeiro” – iniciaram a coleta das primeiras amostras de água e sedimentos do fundo das lagoas. O grupo partiu de São José de Imbassaí e circulou até a altura de Araçatiba. Até está quinta-feira (18), eles deverão concluir o levantamento chegando até a lagoa da Guarapina, entre Bambuí e Ponta Negra.

Uma equipe da Secretaria de Cidade Sustentável acompanhou a partida do professor e do aluno nas águas das lagoas. Segundo Lázaro Laut, a coleta é o primeiro passo da pesquisa que vai indicar os pontos críticos de concentração de matéria orgânica. “Faremos isso através de indicadores microscópicos de todo o sistema, que vão nos apontar os níveis dessa matéria orgânica, mesmo a natural”, explicou o professor.

Formado em Ciências Ambientais e com mestrado em Biodiversidade, ambos pela UniRio, Pierre Belart, de 29 anos, defenderá sua tese de doutorado na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e conta que circulou por outras lagoas do estado para embasar sua pesquisa. “Sabemos que há regiões impactadas em todo o estado, e aqui uma das metas é identificar uma possível fonte poluidora a partir dos índices revelados. Vamos verificar também como se deu a renovação lagunar com a abertura do canal da Barra de Maricá, mas posso adiantar que foi uma boa iniciativa”, apontou o estudante.

Para o secretário Hélter Ferreira, que recebeu aluno e professor para firmar a parceria na semana passada, os resultados desta pesquisa serão o parâmetro para futuras ações. “Os resultados dessas análises serão de muita importância para avaliar as condições reais das lagoas e o estudo vai contribuir para nortear futuras decisões sobre melhorias e intervenções no sistema lagunar da cidade“, frisou.