23.6 C
Maricá
sábado, setembro 18, 2021

Chef de Maricá foi responsável pela alimentação dos atletas brasileiros em Tóquio

Nem só de comida japonesa viveram, pelo menos, 700 atletas e convidados que participaram dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Durante 22 dias, o tempero brasileiro esteve presente nos pratos do outro lado mundo graças à chef Ana Paula Almeida Kaippert. Moradora de Itaipuaçu, em Maricá, conseguiu passar em uma seleção na faculdade e representou o país nas cozinhas da capital japonesa.

– A gastronomia foi um recomeço. Me encontrei. Estudo na Universidade Estácio de Sá, no campus Tom Jobim (Barra da Tijuca), aí teve uma seletiva a nível Brasil. Fizemos uma entrevista, passamos por várias etapas, até chegar na prova prática que foi na própria instituição, no estilo reality show com criação de um prato principal, entrada e sobremesa. Foram nove selecionados. Eu fiquei entre eles e tive essa oportunidade maravilhosa – contou Ana Paula. A oportunidade veio graças a uma parceria com o Comitê Olímpico Brasileiro (COB).

Casada, a carioca Ana Paula tem 48 anos e há 20 escolheu Maricá para morar e criar os filhos, Gabriela de 24 anos e João Pedro de 20 anos. Antes de se encontrar nas cozinhas, a então representante comercial não sabia sequer cozinhar há dois anos, quando decidiu mudar radicalmente de vida e cursar gastronomia.

– Essa experiência foi inesquecível. Nunca pensei em viver uma coisa assim. Agradeço a Deus e o apoio que recebi do meu marido e meus filhos, para participar de todas as etapas de eliminação. Eles me encorajaram muito. Por isso, eu não tive medo. Estou vivendo um sonho, aprendi a cozinhar em dois anos e essa é uma oportunidade única na minha vida porque estou com 48 anos. Uma experiência dessa, de ir para o Japão, é uma coisa maravilhosa – disse.

Entre os pratos preparados pela brasileira estiveram saladas, saladas de frutas e um cardápio bem brasileiro com feijão todos os dias, feijoada light, frango com quiabo e até vaca atolada.

– Foram momentos especiais. Eu fui uma pessoa e voltei outra. Aprendi muito com todo mundo. Trocamos experiências de vida, experiências profissionais e com essa experiência eu quero dizer para as pessoas que não tenham medo de mudar, de inovar. O medo atrapalha, mas se dependesse do medo eu nunca viveria o que vivi no Japão. É claro que deu um friozinho na barriga, mas eu tive muito incentivo. Isso contou muito. E eu quero mostrar para o mundo, para o Brasil, a importância de Maricá – comemorou a chef.

Reportagem: Tv Globo/ Redação Globo Esporte

Anúnciosspot_img