domingo, 7 junho, 2020
22.5 C
Maricá

Estradas de Maricá tem 1 buraco a cada 10m

Foto: R7

O Portal de notícias R7 esteve em Maricá e constatou o estado das estradas que fazem a ligação entre diversos bairros e distritos de Maricá. Dentre eles se destacam a estrada de Itaipuaçu.
Veja a matéria do R7:

Motoristas que transitam nas principais rodovias de Maricá, cidade vizinha a Niterói que faz parte da região dos Lagos, têm sofrido com crateras e falta de asfalto. Na maior parte da RJ-102, uma das principais vias de ligação entre Maricá e Itaboraí, os carros são obrigados a desviar de um buraco a cada 10 m. Essa estrada é um dos acessos da capital à região litorânea fluminense. O R7 percorreu durante esta semana diversas vias na área de Maricá e verificou os problemas.
Outras estradas da região também se encontram em situação precária, como a Itaipuaçu, a RJ-106 e a RJ-114. O cenário não é diferente na estrada velha de Itaipuaçu, que é uma das principais ligações entre o centro de Maricá e o distrito de Ipaipuaçu. Nessa via, a reportagem encontrou uma cratera de dimensões de 3 m por 2,8 m.
Procurada pelo R7, a prefeitura de Maricá informou que já foi iniciado um trabalho de recuperação nas vias com problemas. Mas, para a moradora Lúcia Quadros, a situação está “fora do controle”. Como não vê solução para o problema, ela quer sair da cidade.
– Só estou esperando terminar de pagar a minha casa e, se continuar assim, vou embora. Moro com uma senhora de 81 anos, não há condição de ela andar com essas ruas cheias de buracos. Meu carro está totalmente destruído. Eles dizem que vão arrumar tudo, começam fazem 100 m e, quando o povo esquece, eles param.
Lúcia conta que já chegou a se reunir a um grupo de vizinhos para remendar problemas na via de sua casa.
– Na minha rua, ninguém conseguia sair de casa. Tivemos que nos juntar e compramos dez caminhões de pó de pedra. Mandamos uma draga tirar a lama e botar o pó de pedra. Isso é uma vergonha.
Até mesmo o borracheiro Marcelo Silva, que viu aumentar a clientela devido aos buracos, revela que está insatisfeito.
– As pessoas acham que estou me dando bem, mas também moro e tenho família que mora aqui. Como vou levá-los nos hospital com essa estrada? Só o tempo que agente perde na estrada pode fazer a diferença entre a vida e a morte.
Crise no comércio
A infraestrutura precária das vias tem afetado também o comércio local, que depende do fluxo de turistas e moradores. Para Jorge Junior, dono de uma imobiliária, os comerciantes já não sabem mais o que fazer.
– As pessoas não têm noção de como caíram as vendas. Os clientes não conseguem chegar em casa. O carro atola na porta de casa. As lojas estão fechando. Todo mundo está sendo abalado: quem constrói, quem vende, as pessoas que trabalham nas obras, a padaria…
Ele reclama que a população também está sofrendo com falta de coleta de lixo e de tratamento de esgoto.
– Aqui não existe tratamento do esgoto, a coleta de lixo não é regular. Em algumas áreas nem passa. Então, as pessoas queimam ou jogam o lixo na rua. Como não há tratamento do esgoto, ele é jogado em fossas e sumidouros, ou seja, no solo. Tem vezes que, do nada, começa a brotar do chão os dejetos e você sente o odor horrível.
Outro lado
A prefeitura de Maricá disse ter criado uma empresa para cuidar do tratamento de esgoto, mas que ainda aguarda autorização para começar a trabalhar.
A assessoria de imprensa da administração informou que foram assinados convênios com o DER-RJ (Departamento de Estradas de Rodagens do Rio de Janeiro). A prefeitura promete investir R$ 11 milhões em pavimentação.
Já o DER-RJ informou que mantém um serviço de conservação de suas rodovias, onde são realizados serviços de tapa-buracos, roçado e limpeza de acostamentos. Segundo o órgão, a RJ-102 passa atualmente por obras de pavimentação, com implantação de ciclovia no trecho entre Búzios e Cabo Frio.
Ao todo, informou o DER-RJ, estão sendo investidos R$ 13 milhões. Ainda segundo o departamento, a  RJ-114, rodovia que liga Maricá a Itaboraí, recebeu investimento de R$ 20 milhões no ano passado, quando o órgão realizou obras de restauração e melhorias operacionais ao longo de todos os 35,8 km da via.
Quanto à RJ-106, que liga Niterói e Macaé e atravessa toda a região dos Lagos, obras de recuperação estrutural estão programadas.
78,046FansLike
27,269FollowersFollow
2,717FollowersFollow
984SubscribersSubscribe