Polícias Civil, Militar e bombeiros decretam greve no Rio de Janeiro

A decisão tomada pelos representantes das categorias foi de que entrassem em greve à partir das 0h de sexta-feira (10), em todo o Estado do Rio de Janeiro. Eles reivindicam piso salarial de R$3,5 mil, além de aumento no auxílio alimentação e querem auxílio para o transporte.
Depois de aprovada a lei 1.184/12 que prevê o aumento cumulativo salarial das categorias, foi decretada greve no final da noite desta quinta-feira (9) para todos os servidores públicos de segurança pública e alguns da defesa civil.
Bombeiros e policiais decretam greve no Rio após assembleia realizada no Centro do Rio – Foto: João Henrique
Em assembléia na Cinelândia onde compareceram mais de 10 mil pessoas de todos os lugares do Rio de Janeiro. PM’s do 12º BPM, de Maricá compareceram e também entraram em greve.

Segurança

Cerca de 30% do efetivo da PM será mantido. Além disso, o Exército Brasileiro enviará 14 mil homens para o Estado do Rio de Janeiro, onde, farão a segurança até o fim da greve. A Força Nacional enviará 300 homens para ajudar no trabalho dos Bombeiros.

O TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro) decretou a prisão preventiva do Cabo Benevenuto Daciolo, que liderava o movimento grevista. 
Daciolo está preso em Bangu, acusado de incitamento a greve e aliciamento a motim.
Manifestantes se acorrentam a bonecos vestidos com fardas

1 COMMENT

  1. Realmente este paíz começou a ser um país agora, só falta mudarem as leis porque a força de segurança pública não pode fazer greve, concordo plenamente com a “Presidente Dilma” e não deve haver anistia para essas pessoas, esse tipo de coisa que abala a segurança de todos não é brincadeira e existem muitas vidas em jogo.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here