Notícias de MaricáPolítica

TRE-RJ aceita recurso e Quaquá continua prefeito de Maricá

Prefeito de Maricá continua no cargo, porém, está inelegível durante oito anos. Erro dos primeiros advogados da acusação fez com que o prefeito continuasse no cargo. Novos advogados da acusação entrarão com recurso no TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Prefeito também recorrerá à decisão do TRE.

O Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Rio de Janeiro aceitou na noite desta segunda-feira (19), o recurso do prefeito de Maricá Washington Quaquá (PT) que havia sido cassado em março deste ano pela então juíza eleitoral da 55ª ZE, Juliane Mosso Beyruth de Freitas Guimarães.

Quaquá continua como prefeito de Maricá. (Foto: Marco Bechkert | Maricá Info)
Quaquá continua como prefeito de Maricá.
(Foto: Marco Bechkert | Maricá Info)

De acordo com a sentença, o prefeito de Maricá cometeu abuso de poder político nas eleições municipais do ano passado ao enviar nominalmente à população da cidade oferecendo R$300 (Trezentos reais) para que fosse no lançamento do programa social ‘Renda Melhor’. Por este ato, ele foi cassado e tornou-se inelegível durante oito anos. Porém, Quaquá recorreu da sentença da juíza do TRE-RJ, formado por desembargadores, que aceitaram o recurso do prefeito de Maricá na noite desta segunda-feira (19) o julgamento ter sido adiado por duas vezes.

Os desembargadores decidiram por unanimidade aceitar o recurso do prefeito de Maricá pois não caberia colocar o vice-prefeito Marcos Ribeiro (PT) pois ele ainda era secretário de educação e não as coligações não estavam formadas para as eleições municipais 2012. Quaquá está inelegível por oito anos.

A sessão foi marcada pelo atraso e a ansiedade de muitos maricaenses que se frustraram ao saber que o prefeito continua no cargo. O plenário do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro ficou lotado de autoridades, políticos e também membros da imprensa.

Segundo os desembargadores, há mais 25 processos contra o prefeito de Maricá Washington Quaquá (PT) apenas no Tribunal Regional Eleitoral.

De acordo com a declaração do voto do desembargador Fabio Uchoa, foi lamentável a falha no processo, pois, com o grande número de provas contidas nos autos, o prefeito deveria ser cassado.

Artigos relacionados

7 Comentários

    1. Segundo os desembargadores, não caberia colocar o nome do vice-prefeito Marcos Ribeiro (PT) no processo, já que as coligações não estavam formadas e ele era secretário de educação e não candidato à reeleição.

  1. O importante é: o quaqua tá fora do jogo até 2020. Zeidan, nem FOD*NDO. Marcos Ribeiro? Se depender de mim, passa fome.
    A decisão provou que o quaqua só se safou por um erro da acusação. Se fosse pelo desembargador, por conta das evidencias, perderia o mandato.
    Não esqueçam meus caros: quaqua foi reeleito com 43% dos votos. Mais da metade, está insatisfeita. E só conseguiu o feito devido a dobradinha com o PMDB onde muitos, que hoje estão com quaqua, faziam propaganda na época. SE tivesse segundo turno, tomaria uma lavada contra quem quer que fosse o outro candidato.
    EU sinceramente não sei o que os ‘simpatizantes governistas’, composta pela grande maioria de comissionados, estão comemorando. ‘Ganhou’ uma. Ainda, resta um caminhão de processos. Veremos.

  2. Graças a Deus meu prefeito continuou, só não vê quem não quer. Maricá está outra cidade, acordem olhem para o governo de Ricardo e olhem para o do Quaquá. Só não vê quem não quer !

Botão Voltar ao topo