Destroços do avião que caiu e matou um juiz federal e o piloto. (Foto: Adryano Costa)

Da redação | João Henrique – As denúncias que surgiram acerca de que viaturas da Guarda Municipal invadiram a pista do aeródromo de Maricá e obrigaram o comandante da aeronave que caiu na última segunda-feira (21) na Lagoa de Maricá causaram repercussão nacional.

Na queda da aeronave ocorrida durante a tarde, duas pessoas foram mortas: O comandante da aeronave Adelmo Louzada e o Juiz Federal Carlos Alfredo Flores da Cunha. O caso pode ser investigado como possível crime cometido por autoridades de Maricá, como o prefeito Washington Quaquá (PT).

Prefeito de Maricá, Washington Quaquá (PT) e vereadores da base do governo em ato simbólico de fechamento. (Foto: Rosely Pellegrino)
Prefeito de Maricá, Washington Quaquá (PT), o secretário Lourival Casula e vereadores da base do governo em ato simbólico de fechamento.
(Foto: Rosely Pellegrino)

Segundo testemunhas e diversos pilotos, carros da Prefeitura de Maricá impedem o pouso de aeronaves, obrigando-as a arremeter, colocando em risco não só a vida dos ocupantes das aeronaves mas também de moradores da cidade.

O prefeito Washington Quaquá, do PT, assinou um decreto que foi publicado no Jornal Oficial de Maricá fechando e lacrando o aeródromo, proibindo vôo e decolagens. Porém, tal medida não compete ao prefeito e somente à ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil), que mantém a pista aberta.

Imagens obtidas com exclusividade pelo Maricá Info mostra a ação de viaturas da guarda municipal estacionadas e manobrando sobre a pista do aeródromo, ponto em risco vidas.

O piloto Pablo Eduardo disse em entrevista a uma emissora de TV, que teve que arremeter a aeronave por conta de carros da prefeitura estacionados na pista. “Eu avistei dois carros entrando, não totalmente, mas um pouco na pista. Então, arremeti.” Disse o piloto.

O piloto ainda relata uma perseguição dos funcionários da prefeitura assim que ele conseguiu aterrissar. “Realizei um pouso mais curto para não haver colisão e eles ingressaram na pista atrás de mim. Abordaram, perguntando se eu tinha alguma autorização do Secretário. Aí falaram que eu não poderia permanecer ali. O Secretário acha que as aeronaves têm que pedir autorização para decolagens e pouso para permanecer. Só que quem faz isso é a Anac.” Concluiu.

Crime

Foto flagra o momento em que carros da Guarda Municipal ocupam a pista do aeródromo municipal de Maricá. (Foto: Internauta | Maricá Info)
Foto flagra o momento em que carros da Guarda Municipal ocupam a pista do aeródromo municipal de Maricá.
(Foto: Internauta | Maricá Info)

O Secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico, Lourival Casula, a quem o aeródromo está vinculado, o Secretário Municipal de Segurança Pública Fabrício Bittencourt, responsável pela Guarda Municipal e o Prefeito de Maricá Washington Quaquá, podem ser responsabilizados pela morto do piloto e do Juiz de Direito na queda do avião.

A Anac investigará o impedimento de carros da prefeitura municipal na pista do aeródromo de Maricá, caso condutas de risco      sejam confirmadas, o problema será encaminhado pela agência ao Ministério Público Federal e à Polícia Federal.

8 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

Escreva seu comentário!
Digite seu nome