Maricá 200 anos: A história de Ponta Negra

Vista do Farol de Ponta Negra, em Maricá. (Foto: João Henrique | MaricáInfo.com)

Da redação | João Henrique – O bairro de Ponta Negra, que dá nome ao segundo distrito de Maricá, tem uma história curiosa e rica em detalhes culturais e belezas naturais.

Origem. O nome Ponta Negra pode ter duas origens. A primeira remete à época das navegações, quando os portugueses avistavam a região de costa e pedras negras, dando o nome de Ponta Negra à região.

A segunda remete ao século XIX, quando houve a proibição de importação de escravos para o Brasil, sendo proibido o desembarque deles no Cais do Valongo, o famoso porto que recebeu cerca de 1 milhão de escravos no Rio de Janeiro. Com a proibição, os escravos passaram a desembarcar em pontos clandestinos e um deles era em Ponta Negra.

[alert color=”029CC2″ icon=”59172″]Essa matéria faz parte da série de reportagens sobre os 200 anos de Maricá, os personagens e os fatos que marcaram a história do município. [/alert]

O Farol. O farol de Ponta Negra, de propriedade da Marinha do Brasil, auxilia embarcações e alerta para as pedras no local. Incorporado ao Patrimônio Turístico e Cultural da Cidade, o farol de Ponta Negra tem seu nome registrado no Livro Verde do Turismo como sendo um dos únicos pontos do mundo onde é possível avistar a curvatura do Planeta Terra formada no horizonte. Um espetáculo.

Capela. A capela de Nossa Senhora das Graças possui o curioso formato de avião, e é proposital! Ela foi construída pelo Capitão Dr. José Caetano de Oliveira, que viu a sua fé renascer em Ponta Negra, com seu avião em pane, fez uma promessa para Nossa Senhora das Graças de construir uma igreja caso sobrevivesse.

Turismo. Além das praias oceânicas com areia fina, o bairro possui um canal de águas banháveis, que foi aberto na década de 1950. Há também a Lagoa de Guarapina, o farol de Ponta Negra e áreas propícias ao mergulho, com águas claras próximo ao farol.

A praia da Sacristia é um dos pontos mais visitados por turistas e visitantes que procuram tranquilidade, já que a praia não possui quiosques e é desabitada. Ela fica na divisa de Ponta Negra e Jaconé e tem acesso por uma trilha, sendo perigoso para idosos.

Confira a reportagem em vídeo:

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here