25 C
Maricá
sábado, novembro 26, 2022

Prefeito de Maricá em defesa da cultura indígena

No encerramento da Festa do Índio, realizada na Aldeia Mata Verde Bonita (Tekoa Ka’aguy Hovy Porã, em Tupi) com apoio da Prefeitura de Maricá, o prefeito de Maricá, Washington Quaquá, informou aos presentes, indígenas, moradores e secretários do governo, que o governo municipal irá comprar um terrena para abrigar os 26 índios que estão vivendo em uma área do Parque Estadual da Serra da Tiririca, em Itaipuaçu.

Prefeito Quaquá: " - a aldeia será exemplo para o Brasil e viverá da própria cultura". (fotos: Fernando Silva)
Prefeito Quaquá: ” – a aldeia será exemplo para o Brasil e viverá da própria cultura”. (fotos: Fernando Silva)

Acompanhado da primeira-dama e deputada estadual Rosangela Zeidan, do cacique Darcy Tupã e de secretários municipais executivos e adjuntos, Quaquá visitou as instalações da aldeia da restinga, com ocas, uma Casa de Reza e o módulo educacional – estrutura com isolamento acústico, térmico, com ar condicionado e carteiras – disponibilizado pelo município para alfabetização dos índios. Para o próximo ano, o prefeito pretende mobilizar tribos de todo país. “Vamos chamar índios do Xingu e de outras regiões para fazer uma festa ainda maior. Essa aldeia será exemplo para todo o Brasil e o índio viverá da própria cultura. A presença de vocês enriquece Maricá”, declarou Quaquá.

Emocionado, o cacique Darcy Tupã – ao lado da sua mãe, a pajé Lídia Nunes – quase não conseguia falar ao lembrar momentos de dificuldade que a tribo passou quando ocupou uma área em Camboinhas, na Região Oceânica de Niterói. “Foram períodos muito difíceis, até que, há dois anos, essa luta acabou porque o prefeito nos trouxe para cá e aqui temos todo apoio da Prefeitura”, disse o cacique. “Maricá sai na frente com esta iniciativa. Aqui somos felizes cantando, pescando e rezando. Estamos felizes por estarmos na agenda oficial do município e gratos pela liberdade dada à nossa cultura”, completou.

Pataxós da Bahia fizeram a Dança do Guerreiro. (foto: Fernando Silva)
Pataxós da Bahia fizeram a Dança do Guerreiro. (foto: Fernando Silva)

Para a deputada estadual, que também é presidente da Comissão de Assuntos Fundiários da Alerj, Rosangela Zeidan, a presença dos povos indígenas em Maricá levará o nome da cidade para o mundo. “Obrigada a vocês por essa riqueza cultural”, afirmou a deputada. Já o índio Arassaí, da tribo Pataxó da Bahia, retribuiu o carinho encontrado na cidade. “Muito bom ter pessoas sensibilizadas com nossa cultura e apoio às nossas tradições. Viajo por aldeias de todo país e vejo que só a Prefeitura de Maricá tem esse respeito”, frisou.

Fechando a Festa na Aldeia, índios da tribo Tupi-Guarani M’Bya apresentaram o Canto do Coral e os representantes pataxós da aldeia de Porto Seguro (BA) fizeram a Dança do Guerreiro para alunos da Escola Municipal Barra de Zacarias, em Barra de Maricá; e do Centro de Educação Infantil Municipal Nelson Mandela, de São José do Imbassaí, e demais autoridades.

26 índios guaranis vivem em área da Serra da Tiririca, em Itaipuaçu. (Foto:  Estefan Radovicz / Agência O Dia)
26 índios guaranis vivem em área da Serra da Tiririca, em Itaipuaçu. (Foto: Estefan Radovicz / Agência O Dia)

Acompanhe-nos no Google Notícias

Sem boatos, sem fofocas, apenas notícias relevantes para você ficar bem informado.

spot_img
spot_img
spot_img