(foto: João Henrique / Maricá Info)

Cerca de 300 pessoas compareceram à manifestação em defesa dos ônibus “vermelhinhos” da Empresa Pública de Transportes de Maricá. O ato foi realizado na noite desta terça-feira, 4, no Terminal Rodoviário do Povo de Maricá e contou com a presença de autoridades municipais e personalidades como a Deputada Estadual Zeidan, o ex-deputado Gilberto Palmares e Darby presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT-RJ) do Rio.

Estiveram presentes também personalidades do município e funcionários do alto escalão do governo, como o ex-secretário de educação William Campos, que mostrou não conhecer o trajeto feito pelos ônibus da EPT, dizendo que moradores do Espraiado, Silvado e Ubatiba utilizam o transporte gratuito. A manifestação foi convocada pelo

Renan Mendonça discursou sobre a importância da Tarifa Zero em Maricá.
Renan Mendonça discursou sobre a importância da Tarifa Zero em Maricá. (foto: João Henrique / Maricá Info)

prefeito Washingon Quaquá (PT) e organizado por Renan Mendonça e Rodrigo Bill. Quaquá não compareceu ao ato, mas segundo informações, o prefeito estará no próximo protesto, marcado para 18h da próxima terça-feira (11).

O militante Renan Mendonça enfatizou a importância da tarifa zero em Maricá. “A tarifa zero é mais emprego. A tarifa zero é o povo trabalhador tendo mais oportunidade de passear com suas famílias nos finais de semana e é uma forma de impulsionar o turismo e o comércio local. Trata-se de uma conquista histórica e revolucionária em Maricá, que serve de exemplo para todo estado e para nosso país.” Disse Renan.

Gilbeto Palmares, ex-deputado, comentou a importância da luta por transporte gratuito de qualidade. Já Zeidan garantiu aos presentes que a luta pelo transporte gratuito só começou.

Paralisação

Darby Igaiara, presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT-RJ) do Rio, também esteve presente. (fotos: João Henrique / Maricá Info)
Darby Igaiara, presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT-RJ) do Rio, também esteve presente. (fotos: João Henrique / Maricá Info)

O protesto se deu após a decisão do Desembargador, Pedro Raguenet, de tirar de circulação os ônibus gratuitos acatando um pedido do SETRERJ, sindicato que representa as empresas privadas de ônibus.  A justiça definiu uma multa diária de R$ 20 mil para a EPT pelo descumprimento da ordem judicial. No entanto, o prefeito de Maricá, Washington Quaquá disse não irá tirar os ônibus de circulação pois milhares de pessoas dependem dos mesmos para se locomover diariamente, principalmente após às 22h, quando as empresas que possuem a concessão recolhem os seus coletivos.

A decisão da justiça foi bastante criticada pelos usuários dos ‘vermelhinhos’, nas redes sociais. O prefeito, inclusive, deflagrou uma operação de fiscalização para tirar os ônibus, em situação irregular, das ruas.

Deixe uma resposta

Escreva seu comentário!
Digite seu nome