Catamarãs da Prefeitura de Maricá começam a atuar na fiscalização

A Prefeitura de Maricá, por meio da Secretaria de Cidade Sustentável realizou nesta terça-feira, 12/11, uma fiscalização para coibir construções irregulares no entorno da Ilha Cardosa, que fica as margens da lagoa do Boqueirão.

Além das lagoas, os catamarãs vão fiscalizar também a orla marítima, especialmente no âmbito das Ilhas Maricás, que são uma Unidade de Conservação Municipal. O investimento total foi de R$ 643 mil, correspondentes ao casco, aos motores (cada um dos quatro custa R$ 60 mil), aos equipamentos e ao treinamento das tripulações.

Foram localizadas construções irregulares na faixa marginal de proteção, na lagoa do Boqueirão. A ação teve a participação de representantes do Inea. A ação contou com o emprego de um dos catamarãs adquiridos pela Prefeitura para fins de fiscalização conjunta com o Instituto Estadual do Ambiente (Inea).

De acordo com o subsecretário da Secretaria de Cidade Sustentável, Guilherme Di Cesar Motta, esse tipo de fiscalização é importantíssima e serve principalmente para mostrar o alcance do poder público.

“Estamos aqui para mostrar presença, ir atrás das irregularidades e trabalhar para que construções irregulares nessas áreas de proteção não aconteçam. Nossas fiscalizações são regulares, e nós estaremos sempre aqui, em prol do meio ambiente”, explicou.

Para Sheila Rodrigues, representante do Inea e gestora da APA de Maricá, esta ação nas margens da Ilha Cardosa auxiliou a perpetuar a fauna e flora local. “Viemos para coibir qualquer tipo de irregularidade que se tenha por aqui, principalmente as construções. Isso é uma forma de proteger as espécies daqui”, comentou.

Também participou da ação o sub-chefe do parque estadual da Serra da Tiririca, Jonathan Ferrarez. “O objetivo de hoje foi concluído, que era o de monitorar as unidades de conservação  e fortalecer as parcerias. A ação era justamente para garantir a proteção das unidades de conservação, municipal e estadual, e perpetuar essa união”, disse.