21 C
Maricá
quinta-feira, maio 26, 2022

Maricá: Brasil é campeão do desafio internacional de basquete 3×3

O Brasil foi campeão do desafio internacional no Maricá 3×3 de Basquete e venceu a Argentina por 2 a 0 em duas partidas de 10 minutos (parciais de 17 a 14 e 18 a 09) para a alegria dos cerca de 2.500 torcedores que lotaram a arena de Inoã, montada ao lado da Unidade de Pronto Atendimento (UPA). No intervalo, os times escolares dos dois países fizeram um jogo de exibição com vitória brasileira por 7 a 6. Com o apoio da Prefeitura de Maricá, por meio da Secretaria de Esportes, o evento gratuito, de proporção nacional, foi promovido pela Confederação Brasileira de Basketball (CBB) e pela Confederação Brasileira do Desporto Escolar (CBDE).

O desafio internacional encerrou a programação do evento, iniciado no dia 25/04, que também sediou o Campeonato Brasileiro Escolar, Copa Maricá 3×3 Escolar, a etapa Sudeste do circuito nacional e a Copa Maricá Open e Master. Por dia, o Maricá 3×3 de basquete recebeu cerca de 1,5 mil pessoas, entre atletas de todo país e público.

O secretário de Esporte e Lazer, Filipe Bittencourt disse que será criado o projeto Maricá Cidade Olímpica com a inclusão do basquete 3×3.

“Nossa intenção foi promover a interação da população com essa nova modalidade. Em oito dias, cerca de mil crianças fizeram clínicas do esporte e muitas jogaram com atletas do Brasil e da Argentina, encerrando com esse desafio maravilhoso. Tenho certeza que o basquete 3×3 será mais uma modalidade que o maricaense terá orgulho de praticar”, destacou o secretário.

Brasil ganha desafio

Nessa modalidade jogam três jogadores com um reserva alternando. A equipe brasileira foi formada por Leonardo Branquinho, André Ferros, Fabrício Veríssimo e William Weihermann. Já pela Argentina jogaram Jonathan Ariel, Agustín Diz Rios, Agustín Ezequiel Wolinsky e Lautaro Agustín Urquiza.

Para o capitão do Brasil Jefferson Socas, eventos como o Maricá 3×3 são fundamentais para o público conhecer essa nova modalidade olímpica e elogiou a estrutura do evento.

“Esse evento não perde em nada para os que existem na Europa e Ásia, onde estamos acostumados a jogar no exterior. Hoje é um momento especial para nossa modalidade e eventos como esse ajudam a consolidar o nosso trabalho”, afirmou Jefferson.

spot_img
spot_img