Maricá deve entrar no cinturão verde do Comperj

O município de Maricá deverá fazer parte do cinturão verde do Complexo Petroquímico de Itaboraí (Comperj), área de entorno do maior projeto de petróleo e gás implantado no estado, nos últimos vinte anos.
Um projeto de produção e fornecimento de mudas de espécies nativas, está sendo desenvolvido pela Secretaria Municipal de Pesca, Aquicultura, Agricultura, Pecuária e Abastecimento, e já foi enviado requerimento ao setor ambiental da Petrobras, para estabelecimento de convênio, nesse sentido.
A estimativa de fornecimento da Secretaria é de 50 mil mudas/mês, ou 600 mil mudas/ano, para complementar a oferta dos demais municípios do Conleste, que entrarão com fornecimento de espécies diferenciadas, para cobrir os 4,5 milhões de metros quadrados que constituem a área total do empreendimento. A proposta é de replantio da mata ciliar do Rio Casseribu, que margeia grande parte da extensão do Comperj.
O trabalho de replantio e fornecimento de mudas da Mata Atlântica, terá a parceria de agrônomos do Instituto de Ciência e Tecnologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), além de agrônomos e técnicos da secretaria municipal.
Com o convênio, Maricá avançará na questão da preservação e educação ambiental através da recuperação de áreas degradadas, pois a produção de mudas terá um percentual destinado à manutenção do Horto-Escola, em parceria com as mesmas instituições, e ao Núcleo de Capacitação e Ensino Rural, que funcionará na antiga E.M. Militão Frederico, no Silvado, a ser implantado nos próximos meses, além do retorno econômico para reinvestimento em outros projetos. 
Segundo o secretário de Agricultura, Cláudio Jorge da Silva Soares, a idéia é criar uma área de produção que seja referência, ao mesmo tempo, de auto-sustentabilidade e apoio econômico para o setor. Os recursos do convênio darão suporte para reinvestir na produção agrícola do município, inclusive para o mercado interno. “Se voltarmos a produzir em maior escala poderemos atender, através de cooperativas, a Merenda Escolar, cujo abastecimento está vindo de fora.  Só com isso, estaremos poupando cerca de R$ 1.100.000,00 por ano, o que será uma boa economia para o município. A visão do prefeito Washington Quaquá é a de otimizar custos, priorizar receitas, redirecionar recursos e suprir setores básicos do município”, disse.
[Fonte: NoticiarioRJOnline]

1 COMMENT

  1. É muito bom saber que o nosso município agora tem uma secretaria comprometida com a nossa agricultura e a nossa pesca. Quero parabenizar o secretário Claudio Jorge pelo empenho em emplacar esse projeto de cooperativa de agricultores familiares que além de trazer economia pro nosso município, dá condições de receita para o povo da nossa terra.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here