quarta-feira, 25 novembro, 2020
25.6 C
Maricá

Maricá: Festival de Ginastica Rítmica reúne cerca de 300 alunas na Arena Flamengo

O último Festival de Ginastica Rítmica de 2019 realizado pela Prefeitura de Maricá reuniu nesta terça-feira (09/12), na Arena Flamengo, cerca de 300 alunas dos projetos Esporte Presente e Maricá Mais Esporte, ambos oferecidos gratuitamente pela Secretaria de Esporte e Lazer.

Com a presença de um grande público, em sua maioria pais, familiares e amigos das ginastas, o evento contou com diversas apresentações, entre elas, O Rei Leão, O Pequeno Príncipe, um medley de músicas do cantor pop Michael Jackson e muitas outras.

“Esse é um evento que promovemos desde 2017 e é uma iniciativa voltada para família, pois reunimos alunas de todos os nossos polos nesta grande festa que tem como principal objetivo socializar e deixar o encantamento do esporte em evidência”, explicou Carlos Vagner, secretário de Esporte e Lazer. “Todas as ginastas aqui hoje receberão uma medalha, pois embora não seja uma ação de caráter competitivo, nós queremos fomentar nessas alunas a identificação pela modalidade esportiva”, completou o secretário.

“Estou muito feliz por estar aqui. Treinei bastante, estou com um frio na barriga, mas tenho certeza de que vai dar tudo certo”, disse Sthefanny Chavão, de 10 anos, moradora de Itapeba e aluna do projeto há três anos.

“A ansiedade é grande, mas a emoção é maior. Hoje minha irmã está realizando mais um sonho e eu só quero que ela saiba que eu confio nela e que estarei sempre ao lado dela acompanhado seu crescimento”, disse Roberta Chavão, irmã da ginasta Sthefanny.

“Eu treino aqui na Arena Flamengo e gosto muito. Queria muito participar do festival e estou achando tudo muito legal. Os ensaios foram bem puxados, mas sempre foi meu sonho poder fazer ginastica rítmica”, revelou Letícia Moura, de 11 anos, moradora de Inoã.

“Entrei no projeto esse ano e estou muito feliz de poder participar do festival. Estou um pouco nervosa, mas no final vai dar tudo certo”, garantiu Rafaela Perrone, de 11 anos, acompanhada da irmã Roberta Perrone, de 13 anos, moradoras do Centro. “É tudo muito legal e estou muito feliz. Eu vou fazer a libélula e ensaiei bastante”, contou Roberta.

“Um evento como esse valoriza a ginastica rítmica que embora seja uma modalidade olímpica ainda é um esporte pouco visto em nosso país e a atenção que essas meninas tem recebido faz diferença para, quem sabe, revelar talentos”, afirmou Eduarda Oliveira, técnica de ginastica rítmica da turma de alto rendimento.