Início Notícias de Maricá Maricá sediará o primeiro torneio de games intercolegial do mundo

Maricá sediará o primeiro torneio de games intercolegial do mundo

A Companhia de Desenvolvimento de Maricá – CODEMAR realizará o primeiro torneio intercolegial de games para todos os alunos como parte do “Cluster de Games Maricá”.

A CODEMAR realizará, pela primeira vez na cidade, o Torneio Intercolegial de Games Maricá-RJ. O torneio visa usar os melhores benefícios dos jogos eletrônicos (games) para, através de uma competição amigável, desconstruir preconceitos e legitimar os games na área educacional, além de identificar e promover talentos.

Victor Prado, game designer e fundador da For Games, acredita que a proposta do torneio contribuirá de maneira efetiva e inovadora para o progresso de Maricá: “o torneio tem um peso maior em questões de desenvolvimento econômico, através da formação de usuários críticos. É a primeira vez no Brasil e América Latina que uma cidade abraça games como ferramenta educacional e social. Isso representa um marco na história, não só de Maricá, mas do Estado do Rio de Janeiro, já que os jogos são porta de entrada para as chamadas profissões 3.0 e 4.0 e Maricá terá o maior polo tecnológico aberto do Estado. Com a legitimação dos games nas escolas, estamos falando de uma ruptura cultural, derrubando o preconceito acerca dos games como ferramenta educacional e como possibilidade de carreira”.

De acordo com o Superintendente do Parque Tecnológico, Tiago de Paula, o torneio intercolegial de games é uma das ações vinculadas a uma política de desenvolvimento da CODEMAR, juntamente com a Prefeitura Municipal de Maricá: “o torneio é a grande ação que promove e massifica essa política pública de inclusão, dando acesso aos alunos da cidade uma indústria gigantesca. Esse será o primeiro torneio que o município realizará. Existe muito preconceito contra os games, muitos acreditam que a área de games é apenas brincadeira, entretanto, é uma coisa muito séria, pois mediante ao investimento de jogos surgem tecnologias para a área de saúde, segurança, audiovisual, indústria de óleo e gás. A gente desenvolveu essas políticas públicas a partir de recomendações do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), de pesquisa da USP (Universidade de São Paulo) e de profissionais de mercado”.