Início Notícias de Maricá Maricá: Prefeitura promove palestra dia 27 sobre a febre aftosa

Maricá: Prefeitura promove palestra dia 27 sobre a febre aftosa

(foto: Divulgação)

Município vacinará gratuitamente rebanhos de até 60 cabeças, mas só serão beneficiados os criadores que comparecerem no evento

Para conscientizar e esclarecer dúvidas de criadores de bois e búfalos sobre a febre aftosa, a Secretaria Municipal Adjunta de Agricultura, Pecuária e Pesca de Maricá promove uma palestra sobre a doença, que há 17 anos não atinge produções do estado do Rio de Janeiro. O tema será ministrado pela médica veterinária e chefe do Núcleo de Defesa Sanitária Animal do estado, Valéria Teixeira, e acontece na próxima terça-feira (27/10), às 17h, no Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU), na Mumbuca. O evento faz parte da segunda fase da campanha de vacinação, que será realizada entre os dias 03 e 30 de novembro.

Todos os produtores são obrigados a imunizar os animais contra a febre aftosa, transmitida por meio de alimentos contaminados ou do contato com rebanho infectado, e comunicar o Núcleo de Defesa Agropecuária do estado até dia 30/11. Serão vacinados bovinos e bubalinos com até 24 meses de idade e a secretaria vacinará, gratuitamente, rebanhos de pecuaristas com até 60 cabeças. Mas para garantir o benefício, os produtores precisam comparecer no evento da próxima terça-feira (27). “As vacinas somente serão doadas para quem for à palestra”, alerta o secretário adjunto Rubem Pereira. “É importante à participação de todos, de pequenos e grandes criadores, porque esse é um tema de saúde pública”, completa Rubem.

A médica veterinária e chefe do Núcleo de Defesa Agropecuária, Valéria Teixeira, faz um alerta sobre os possíveis prejuízos socioeconômicos em caso de contaminação dos animais. “A propriedade é embargada e o vírus pode espalhar para municípios vizinhos. A produção fica proibida e os animais são sacrificados. Por isso, é importante a consciência de todos”, declarou a chefe do núcleo estadual. “A responsabilidade das vacinas é do produtor e não da Prefeitura. Quando o município não doar as doses, os produtores precisam ir atrás dos medicamentos e comunicar a vacinação do gado ao estado”, acrescentou.

A doença é altamente contagiosa e se espalha rapidamente. Os animais têm febre, aftas na boca, tetas e entre as unhas, além de atingir as fendas dos cascos e articulações, causando mal estar e dificuldade na mastigação. Eles se isolam dos outros, babam, mancam, arrepiam o pelo e param de comer e beber. Rubem Pereira lembra ainda que o Guia de Trânsito Animal (GTA), documento legal de transporte dos animais, somente é disponibilizado pelo estado com a vacinação em dia. Mais informações pelo telefone 3731-4014.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Favor colocar seu nome aqui