Início Notícias Jovem acusada de matar enforcado ex-candidato à vereador de Maricá se entrega...

Jovem acusada de matar enforcado ex-candidato à vereador de Maricá se entrega à polícia

Jovem acusada de matar enforcado ex-candidato à vereador de Maricá se entrega à polícia


A jovem Verônica Veroni de Pávoa, 18 anos, acusada de enforcar até a morte o ex-candidato a vereador de Maricá “Fábio pela Paz” em um quarto de motel em Niterói, na madrugada do último sábado (14), se apresentou à Polícia Civil na manhã desta segunda-feira (16).  A mulher era amante de Fabio Gabriel Rodrigues, de 33 anos, há dois anos. Ela o matou com  seu próprio cinto e alegou legítima defesa para evitar uma tentativa de estupro. Momentos antes de Verônica chegar à sede da 77ª DP (Icaraí), seu advogado informou que a estudante sofre de problemas mentais. “Temos que ter muito cuidado, pois trata-se de uma pessoa com sérios problemas mentais. Ela toma pelo menos 10 medicamentos por dia”, defendeu o advogado que não foi identificado. Verônica já tinha um mandado de prisão temporária expedido contra si e deve responder pelos crimes de homicídio por motivo fútil e ocultação de cadáver. As informações são da delegada Adriana Rattes. O corpo do empresário Fábio Gabriel foi encontrado por funcionários de um motel na madrugada do último sábado (14), com vestígios de sangue no rosto. Imediatamente após cometer o crime, Verônica fugiu com a picape da vítima e só esteve na Delegacia de Itaipu neste domingo (15). Antes de fugir, no entanto, ela teria tentado esconder o corpo do amante.

Suspeita alegou legítima defesa, mas não conseguiu convencer a polícia

Amigos e familiares do empresário e ex-candidato à vereador em Maricá, Fábio Gabriel Rodrigues, mais conhecido como “Fábio Pela Paz” de 33 anos, morto em um motel de Niterói, na região metropolitana do Rio, contam que ele vinha sendo perseguido pela estudante de 18 anos, que confessou ter sido a autora do crime.

Segundo um amigo que estava com Fábio horas antes de ele encontrar a jovem, ela ligou várias vezes para o celular do empresário e não aceitava o fato de ele não querer mais sair com ela. O empresário não queria mais se envolver com a estudante porque ela era usuária de cocaína e maconha.

– Ela chegou a dizer que se ele não fosse dela, não seria de ninguém.

A estudante foi presa na manhã desta segunda-feira (16) após se apresentar na delegacia de Icaraí (77ª DP). No dia do crime, ela já havia procurado a polícia horas após deixar o motel, mas foi liberada após contar em depoimento que agiu por legítima defesa depois que ele tentou estuprá-la.

Na primeira versão contada à polícia, a jovem contou que empurrou o empresário no chão e o enforcou com um cinto quando ele já estava desacordado. Depois, teria arrastado o corpo de Fábio até a garagem. Quando percebeu que o empresário sangrava pela boca, desistiu de levá-lo até o carro, pagou a conta e fugiu no carro dele.


Contradições

Mas o fato de Fábio ser um homem de grande porte, com 1,90 m e mais de 90 kg, fez com que a polícia desconfiasse de possibilidade de a estudante ter agido sozinha e a participação de uma terceira pessoa não foi descartada. Segundo a delegada Juliana Rattes, que investiga o caso, houve várias contradições no depoimento da suspeita.

– Houve diversas contradições no depoimento dela. A gente não descarta a hipótese de possivelmente haver uma terceira pessoa envolvida ou mesmo se ele já chegou morto ao motel.

Para a polícia, ela poderia ter fugido e procurado socorro, mas não o fez.
Ela se entregou na manhã desta segunda com os cabelos cortados e tingidos de loiro mais escuro. O advogado da jovem, Rodolfo Thompson, afirmou que sua cliente tem “problemas psiquiátricos”.

– Ela tem mais de dez medicações, sendo várias restritivas e de tarja preta. É uma pessoa enferma que acaba de fazer 18 anos.

No carro da vítima foram encontradas maconha e cocaína.

Familiares também contaram que a jovem vinha ameaçando o empresário após descobrir que ele voltou a sair com a ex-mulher. O empresário era casado há oito anos e pai de dois filhos, um de 4 e outro de 10 anos. As frequentes ligações da estudante para a esposa da vítima teria provocado o divórcio do casal no começo deste ano.

A estudante deve ser encaminhada ainda nesta segunda-feira para uma das carceragens da Polinter e será indiciada por homicídio e tentativa de ocultação de cadáver.
(Via Lei Seca Maricá)

1 COMENTÁRIO

  1. Infelizmente no brasil quem morre é coitadinho, o cara é um safado que tinha mulher e filhos, e por uma aventura se afundou e leva a instuição familiar junto, coitada é ESPOSA mulher que acreditou em um homem no qual ela o julgava um ideal de marido e de pai.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Favor colocar seu nome aqui