Polícia reforça cerco na rota Niterói-Maricá

A TRIBUNA – O cerco está se fechando para criminosos que assaltam residências na região de Maricá e Niterói. Em apenas dois dias quatro deles já foram presos. Na manhã da última sexta-feira foi a vez Dyego Silva Sampaio, 20 anos. Ele é acusado de assaltar duas residências no último dia 27. A primeira delas foi a de dois idosos e a segunda a de um policial. As impressões digitais deixadas por ele nos objetos da casa ajudaram técnicos do Instituto Félix Pacheco (IFP) a identificá-lo. Já havia dois inquéritos abertos para investigar o envolvimento de Dyego com o mesmo crime. A polícia tinha informações de três endereços onde ele poderia estar, um deles na famosa Rua da Feira, no Alcântara. Ele não resistiu à prisão e ainda “entregou” mais sete pessoas que estariam de posse dos produtos roubados.

Essas pessoas serão investigadas também por estarem portando ou comprando produtos roubados. Entre eles, relógios, roupas, calçados, joias, entre outros objetos. Eles foram indiciados por receptação culposa e liberados. A polícia afirmou que Dyego colaborou ao passar as informações.

“Conseguimos interceptá-lo porque ele mudou a maneira de trabalhar. Ele passou a roupar com um facão. E ele foi reconhecido pelas vítimas de duas casas. Nenhum dos produtos tinha nota fiscal e tudo foi apreendido”, disse um dos policiais.

Na quinta-feira dois criminosos foram presos e um encaminhado ao hospital sob custódia por se ferir durante uma ação da Polícia Militar. Eles são acusados de assaltarem uma casa em Itaipuaçu, Maricá, roubando diversos pertences valiosos que foram avaliados em pelo menos R$10 mil. Eles fizeram quatro reféns.

Redação Maricá Info

Levamos até você um jornalismo crítico, com imparcialidade e independência editorial. Aqui você tem voz, participe! Envie sugestões de reportagem e denúncias para o nosso Whatsapp: (21) 99621-9049.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inline
Inline