Paes pede desculpas à população de Maricá após piada em grampo com Lula

Após ser flagrado em um grampo telefônico da operação Lava Jato em conversa telefônica com o ex-presidente Lula, o prefeito do Rio Eduardo Paes pediu desculpas à população de Maricá por ter chamado o município de “merda de lugar”.

Maricá fica na região metropolitana do Rio de Janeiro e tem aproximadamente 150 mil habitantes. É em Maricá que a filha do ex-presidente Lula, Lurian Silva, e a neta Bia Lula, passam grande parte do tempo. Lurian é editora em uma revista e Bia Lula é secretária da juventude do PT.

Após a divulgação da conversa entre Lula e Eduardo Paes, os moradores de Maricá ficaram revoltados e mostraram a indignação pelo prefeito da capital nas redes sociais, onde Maricá figurou entre os assuntos mais comentados no Twitter do Brasil.

A conversa foi flagrada em grampo telefônico da PF (Polícia Federal), divulgado na quarta-feira (16) pelo juiz federal da Lava Jato Sérgio Moro.
Paes: — Agora, da próxima vez o senhor me para com essa vida de pobre, com essa tua alma de pobre comprando “esses barco de merda”, “sitiozinho vagabundo”, p… que me pariu!
O ex-presidente não comenta a fala de Paes, apenas ri. Em seguida, o prefeito do Rio de Janeiro faz piada com o sítio em Atibaia (SP).
Paes: — O senhor é uma alma de pobre. Eu, todo mundo que fala aqui no meio, eu falo o seguinte: imagina se fosse aqui no Rio esse sítio dele, não é em Petrópolis, não é em Itaipava. É como se fosse em Maricá. É uma merda de lugar porra!
Lula continua sem se manifestar, apenas ri e ainda ouve de Paes: “É um cafona. O senhor não perdeu essa sua alma de pobre. Isso que é a maior desgraça que eu tô vendo nesse processo todo porra”.
Em nota, Paes afirmou que “em uma conversa completamente informal com o ex-presidente Lula, fez brincadeiras que, dependendo do contexto, soam de mau gosto e, por isso, pede desculpas a todos que tenham se sentido ofendidos, especialmente à população de Maricá.”

Redação Maricá Info

Levamos até você um jornalismo crítico, com imparcialidade e independência editorial. Aqui você tem voz, participe! Envie sugestões de reportagem e denúncias para o nosso Whatsapp: (21) 99621-9049.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inline
Inline